Depois de correr atrás do placar por quase todos os 40 minutos do jogo, o Allianz/Ginástico conseguiu levar a partida para prorrogação e vencer o São José/Unimed, por 91 a 90. Todo o esforço coletivo do grupo mineiro deve-se muito a uma performance individual, do armador Carioca, autor de 36 pontos, a melhor marca desta edição da LDB.

“A gente treinou muito para fazer uma boa etapa no Rio de Janeiro e o time estava apático no primeiro tempo. O Jefferson (técnico da equipe) conversou com a gente no vestiário para pedir que focássemos nessa vitória”, disse Carioca. “No final do jogo, estávamos confiantes e isso fez toda a diferença para nós”, completou.

Carioca, que ainda marcou um duplo-duplo, com mais 11 rebotes, teve também a colaboração do ala Daniel, que anotou 25 pontos. Pelo São José, a dupla de pivôs Chandler e Lucão foi destaque. Chandler teve 25 pontos e 12 rebotes, enquanto seu companheiro marcou 22 pontos e 11 rebotes.

A Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB) é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB) em parceria com o Ministério do Esporte e tem a chancela da Confederação Brasileira de Basketball (CBB).

O armador Carioca marcou 36 pontos, a melhor marca desta temporada da LDB (Wallace Teixeira/LNB)

As duas equipes demoraram um pouco para se encontrar em quadra e ficaram mais de 3 minutos com o placar zerado. Os joseenses foram os primeiros a acertarem o jogo, com grande atuação do pivô Lucão no garrafão, autor de nove pontos na etapa inicial, e com bom aproveitamento nos arremessos de fora (quatro acertos no primeiro quarto). Dessa maneira, o time paulista conseguiu abrir 10 pontos de vantagem no final do período (22 a 12).

No segundo quarto, o Ginástico aumentou o ritmo ofensivo, mas teve dificuldades para parar o time de São José, que manteve uma diferença segura no placar. O ala/pivô Chandler chamou o jogo, marcou 11 pontos na etapa, e ajudou a equipe joseense a se manter na liderança antes do intervalo, 41 a 28.

Os mineiros voltaram do vestiário com uma boa pegada e nos primeiros minutos do terceiro quarto mostraram poder de reação. Após uma cesta seguida de falta do ala Luiz, o Ginástico baixou a diferença para oito pontos (51 a 43). No entanto, os paulistas mantiveram a tranquilidade e não deixaram a euforia do adversário prevalecer, levando 12 pontos de diferença para o último período (61 a 49).

Liderado pelo armador Carioca, o Ginástico continuou pressionando o adversário paulista na etapa final. Faltando um pouco menos de 2 minutos para o fim do jogo, os mineiros fizeram uma sequência de nove pontos seguidos para empatar o confronto (77 a 77).

Nos ataques seguintes, os joseenses retomaram a frente do placar, com um lance livre de João Pedro e um gancho de Lucão (80 a 77). Depois, o Ginástico baixou a diferença para dois pontos (80 a 78), com um lance livre do pivô Boaz e, do mesmo jeito, João Pedro voltou a vantagem para 3, com oito segundos para o final (81 a 78). Sem outra alternativa, o armador da equipe mineira, Carioca, rasgou de uma ponta a outra da quadra para matar uma bola de 3 que levou a partida para a prorrogação (81 a 81).

No tempo extra, as duas equipes trocaram a liderança algumas vezes e somente nos últimos segundos é que o Ginástico abriu 3 pontos de vantagem, com uma bandeja do ala/pivô Gabriel (91 a 88). No ataque seguinte, com 14 segundos no cronômetro, o armador do São José, Gabriel, recebeu falta e acertou dois lances livres, diminuindo a diferença para um (91 a 90).

“Esse time que está aqui é um dos mais jovens de todo o campeonato. Estamos sem peças importantes e eles fizeram muita falta no jogo de hoje. No final da partida, faltou um pouco de experiência para o time”, comentou Chandler, que mencionou as ausências dos pivôs Pajé e Jerônimo, o armador Victor Correia e o técnico Paulo Jaú.